ANÁLISE DE TEXTOS

Aprenda AGORA Português

Entenda as funções emotiva e metalinguística

linguagem oralNo artigo de hoje falarei brevemente sobre duas funções da linguagem bastante presentes nos textos com que temos contato no dia a dia. Certamente você já leu um texto com o qual se identificou ou mesmo já buscou um que ajudasse a entender um conceito. As funções da linguagem responsáveis por estes dois aspectos da linguagem são a função emotiva e a função metalinguística. Vamos a algumas considerações sobre elas e, depois, alguns exercícios com gabarito. Aproveito para convidar vocês a assinar a nossa newsletter e curtir nossas páginas no Facebook e no Google+. Você pode encontrar as opções para fazer isso na barra lateral do site. fazendo isso nosso contato será mais próximo e você terá chance de aproveitar integralmente todo nosso conteúdo.

Gêneros textuais – propaganda política

Entender as características dos vários gêneros textuais é um requisito básico de qualquer aluno que vá fazer o Enem, vestibular ou concurso bem elaborado. Se antes os vestibulares pediam apenas a construção de um texto dissertativo, hoje os órgãos responsáveis pela elaboração das provas esperam que os alunos sejam capazes de reconhecer as mais variadas estruturas textuais, a linguagem utilizada nelas e a intenção por trás da mensagem. Os gêneros textuais são variados e, na maioria das vezes, acabam sendo mesclados uns aos outros. Há, no entanto, sempre um que predomina. Isso quer dizer que ao fazer um texto argumentativo, é possível que você lance mão de trechos descritivos, narrativos…

Neste artigo quero compartilhar com vocês um vídeo que guardo das minhas aulas de alguns anos atrás. Não me recordo de qual canal do Youtube baixei e, numa pesquisa rápida vi vários canais exibindo o vídeo como se fosse deles e, inclusive, mudando o foco do mesmo. Acreditam que há quem use este vídeo para vender livros sobre o Código da atração? Bem, cliquem no player para ver como se pode usar o texto de forma argumentativa para convencer os eleitores.

Texto persuasivo - escrever para convencer

Todo aluno que esteja se preparando para o Enem e também para o vestibular sabe que escrever um bom texto argumentativo ou mesmo compreender os mecanismos usados para construi-lo são de suma importância. Neste aspecto, revisar as características dos gêneros textuais pode ser um diferencial entre os aprovados e os que voltarão para os bancos do cursinho. Por isso mesmo, depois de falar aqui em nosso site a respeito da utilidade da Língua Portuguesa e também sobre maneiras de compreender melhor um texto, volto ao assunto da interpretação de texto falando desta vez sobre texto e persuasão. Para isso, vamos enfocar no uso da função conativa nos textos. Primeiro farei algumas considerações sobre o assunto e depois faremos alguns exercícios, COM GABARITO, que nos ajudarão a estudar para os desafios que se colocarão a nossa frente.

Texto e persuasão

Vejamos algumas considerações sobre o assunto antes de passarmos para os exercícios.

  • Um texto pode ser produzido predominantemente com a intenção de interferir no comportamento das pessoas. Nesse caso, a preocupação maior é a busca da adesão do indivíduo, isto é, que ele leve em consideração o que está sendo proposto, acredite no que está sendo dito e, se for o caso, faça o que se recomenda. Quando a linguagem é usada com essa intenção, diz-se que está em jogo a função conativa, denominada também apelativa ou persuasiva. Nesse sentido são acionados os mais diversos recursos, que genericamente costuma-se chamar de argumentos.
  • Todo texto explora a função conativa, já que seu produtor sempre quer ser levado em consideração ou quer levar as pessoas a acreditar no que diz. Na função conativa assume destaque o uso de verbos no imperativo, de vocativos, de palavras ou expressões que envolvem apelo e provocam a mobilização do indivíduo.
  • Num texto de caráter conativo, nem sempre a intenção de interferir no comportamento das pessoas fica evidente. Há casos em que isso vem dissimulado, exatamente com o objetivo de obter maior efeito.

Ditas essas coisa, vejamos alguns exercícios selecionados justamente para você se preparar melhor para as provas.

Como compreender um texto

Depois do nosso último artigo em que falamos sobre a utilidade da língua, alguns leitores me indagaram em nossa fanpage a respeito de como podem estudar para fazer a prova do Enem. Penso que ainda dá tempo de estudar para fazer bem a prova, mas é necessário um plano de estudos que contemple todo o Ensino Médio. Mas é possível focar naquilo que tem caído com mais regularidade nos exames. Como nosso blog trata principalmente da leitura e análise de textos, o artigo anterior e os próximos tratarão dos mecanismos que ajudam na hora da prova de interpretação de textos. Hoje, veremos com um pouco mais de detalhes como devemos fazer para compreender melhor os textos que aparecem nas provas, vestibulares e concursos.

A compreensão de textos

Para iniciarmos a conversa, algumas considerações devem ser feitas. São elas:

  • O indivíduo aprende naturalmente a língua da sociedade em que vive, graças ao convívio com os seus pares.
  • Quando um brasileiro, por exemplo, afirma que não sabe Português, isso só pode ser interpretado em dois sentidos: ou ele está querendo dizer que não sabe a variante culta do Português, ou
    que não sabe justificar por meio de regras o uso da língua aprendido naturalmente.
  • Falar com correção tem sua importância, mas não é suficiente para indicar bom desempenho no uso de uma língua.
  • O domínio versátil de uma língua se mede basicamente pela capacidade de compreender e produzir textos com a maior eficiência possível.
  • Mais importante que falar correto é ser capaz de apreender significados e correlacioná-los com outros que circulam no universo cultural.
  • Quando se discute a questão do bom desempenho no uso da língua, há certos mal-entendidos que precisam ser esclarecidos. Um deles é que falar bem é o mesmo que falar difícil ou falar "bonito" como as pessoas consideradas chiques. Há situações em que "falar difícil ou bonito" soa como pretensioso e grotesco, sendo, portanto, inadequado.

Antes de passarmos para os exercícios, fica minha dica para quem quer dar uma guinada na forma como lê e guarda as informações.

a culpa é das estrelas

Bem, depois dessas considerações, vejamos alguns exercícios práticos sobre o assunto. Assim como em outras disciplinas, aprende melhor quem pratica.