Aprenda AGORA Português

Os fonemas e suas representações



Nos últimos dias li diversos textos cujo assunto era a linguagem. Dentro desse tópico, achei por bem trazer para cá algo a respeito de fonemas. É um assunto deveras interessante para os estudantes de Letras, por isso, se você não é da área, leia a título de informação e depois dê uma olhada nos arquivos do blog. Há muita coisa boa por ali. Sugiro, no entanto, a leitura de um texto:
Vamos ao post agora.
linguagem_fonética_fonologia Quem não se comunica…
O pesquisador francês Mareei Cohen afirmou o seguinte a respeito da língua:
As línguas são sistemas de signos vocais. A escrita é seu registro, "representação visível e durável da linguagem, que, de falada e ouvida, passa a ser escrita e lida".
Pense, meu leitor, na sua história: você primeiro aprendeu a falar, só mais tarde aprendeu a escrever. Foi assim durante séculos com a humanidade. Só "recentemente" (cerca de 4000 a.C.) passamos da língua falada para o registro, para a escrita. Como prova da importância desse fato, ele é considerado o marco divisório entre a Pré-História e a História da humanidade.
É clara a função do registro: manter viva uma língua e, por extensão, as ideias que se expressam nessa língua. É criar uma representação visível e durável da mesma.
Veja agora que assim como você e eu lemos este post em silêncio, o som das palavras ecoam em nossos ouvidos. Assim, não há como negar que os textos são essencialmente sonoros. A parte da Gramática que se dedica aos sons da língua chama-se Fonologia.
Fonologia é "a ciência que estuda os sons da língua do ponto de vista de sua função no sistema de comunicação linguística. Ela estuda os elementos fônicos que distinguem, numa mesma língua, duas mensagens de sentido diferente (a diferença fônica no início das palavras do português bala e mala, a diferença de posição do acento, no português, entre sábia, sabia e sabiá, etc.) e aqueles que permitem reconhecer uma mensagem igual através de realizações individuais diferentes (voz diferente, pronúncia diferente, etc). Nisto se diferencia da Fonética, que estuda os elementos fônicos independentemente de sua função na comunicação".
DUBOIS, Jean et alii. Dicionário de linguística. São Paulo: Cultrix, 1986. p. 184-5.
É isso, amigos. Nos próximos posts, mais assuntos importantes relacionados ao estudo da Língua Portuguesa.

Insira aqui o seu email para receber gratuitamente as atualizações do blog!

Não se esqueça de confirmar sua opção lá no seu e-mail!

Nenhum comentário :

Postar um comentário