Aprenda AGORA Português

Vestibular da FUVEST – exercícios com gabarito [5]


Vamos praticar mais um pouco. Hoje trago mais uma série de exercícios de Língua Portuguesa baseados nos vestibulares da FUVEST. Apesar dos exames vestibulares terem mudado um pouco de perfil nos últimos anos, a resolução de bons exercícios não sai de moda.

Texto Auxiliar: Bossa Nova

Condicionada fundamentalmente pelos veículos de massa, que a coagem a respeitar o "código" de convenções do ouvinte, a música popular não apresenta, senão em grau atenuado, o contraditório entre informação e redundância, produção e consumo. Desse modo, ela se encaminha para o que Umberto Eco denomina de música "gastronômica" : um produto industrial que não persegue nenhum objetivo artístico, mas, ao contrário, tende a satisfazer as exigências do mercado, e que tem, como característica principal, não acrescentar nada de novo, redizendo sempre aquilo que o auditório já sabe e espera ansiosamente ver repetido. Em suma: o servilismo ao "código" apriorístico - assegurando a comunicação imediata com o público - é o critério básico de sua confecção. "A mesma praça. O mesmo banco. As mesmas flores, o mesmo jardim". O mesmismo. Todo mundo fica satisfeito. O público. A TV. Os anunciantes. As casas de disco. A crítica. E, obviamente, o autor. Alguns ganham com isso (financeiramente falando). Só o ouvinte-receptor não "ganha" nada. Seu repertório de informações permanece, mesmissimamente, o mesmo. Mas nem tudo é redundância na música popular. É possível discernir no seu percurso momentos de rebeldia contra a estandardização e o consumismo.
Assim foi com o Jazz Moderno e a Bossa-Nova. (Augusto de Campos. O Balanço da Bossa).

1)  O texto discute:
a) a nulidade da ação dos veículos de massa sobre a música popular.
b) a invariabilidade da mensagem transmitida pela música popular.
c) o entusiasmo do auditório em relação à música popular.
d) a adesão ao consumismo representada pelo Jazz Moderno e a Bossa Nova.
e) o objetivo artístico a que se propõe a música popular.

2)  De acordo com o texto, a música popular:
a) não persegue nenhum objetivo artístico.
b) oferece um repertório de informações sempre igual.
c) nem sempre se curva às pressões consumistas.
d) tem que ser servil ao "código" apriorístico.
e) é sempre uma música "gastronômica".

3)  De acordo com o texto, o autor produa a música "gastronômica" porque:
a) gosta de progredir, volta-se para o futuro.
b) sente-se inseguro diante do novo.
c) é rebelde, contrário à estandardização.
d) quer satisfazer os veículos de massa.
e) tem espírito crítico muito desenvolvido.

4)  No primeiro período do texto, observamos uma relação de:
a) causa e efeito.
b) efeito e fim.
c) condição e fim.
d) conseqüência e condição.
e) causa e concessão.

5)  A expressão "código apriorístico" significa:
a) regra indiscutível.
b) preceito a ser cumprido.
c) solução predeterminada.
d) censura prévia.
e) norma preestabelecida.

6)  Segundo o autor, a boa música popular deve:
a) garantir a sobrevivência de seu autor.
b) privilegiar a redundância.
c) assegurar a comunicação imediata com o público.
d) voltar-se contra o consumismo.
e) apresentar o contraditório entre informação e redundância.

7)  O "Mas" que inicia o segundo parágrafo indica:
a) que o leitor pode não concordar com as idéias do autor.
b) a não concordância do autor com as afirmações do primeiro parágrafo.
c) o acréscimo de mais alguns argumentos que comprovam as afirmações anteriores.
d) uma crítica às idéias apresentadas no parágrafo anterior.
e) a apresentação de uma idéia contraposta ao que já foi dito.

8)  O texto de Augusto de Campos é, predominantemente:
a) dissertativo.
b) narrativo.
c) descritivo.
d) descritivo-narrativo.
e) narrativo-dissertativo.

9)  Na frase "A TV" ocorre:
a) pleonasmo.
b) perífrase.
c) elipse.
d) anacoluto.
e) hipérbato.

10)  Nas palavras: atenuado, televisão, percurso temos, respectivamente, os seguintes processos de formação de palavras:
a) parassíntese, hibridismo, prefixação.
b) aglutinação, justaposição, sufixação.
c) sufixação, aglutinação, justaposição.
d) justaposição, prefixação, parassíntese.
e) hibridismo, parassíntese, hibridismo.

11)  Servilismo - discernir - estandartização são sinônimos, respestivamente, de:
a) bloqueio - constatar - tradicionalismo.
b) vassalagem - descobrir - repetição.
c) cativeiro - averiguar - modelo.
d) dependência - examinar - imobilismo.
e) submissão - discriminar - padronização.

12)  Na frase: "tende a satisfazer as exigências do mercado" , substituindo-se satisfazer por satisfação, tem-se a forma correta:
a) tende à satisfação as exigências do mercado.
b) tende a satisfação das exigências do mercado.
c) tende a satisfação das exigências ao mercado.
d) tende a satisfação às exigências do mercado.
e) tende à satisfação das exigências do mercado.

13)  No período: "É possível discernir no seu percurso momentos de rebeldia contra a estandardização e o consumismo" , a oração grifada é:
a) subordinada adverbial causal, reduzida de particípio.
b) subordinada objetiva direta, reduzida de infinitivo.
c) subordinada objetiva direta, reduzida de particípio.
d) subordinada substantiva subjetiva, reduzida de infinitivo.
e) subordinada substantiva predicativa, reduzida de infinitivo.

14)  No trecho: "... o servilismo ao código apriorístico...", as palavras grifadas são, respectivamente:
a) sujeito, complemento nominal, adjunto adnominal.
b) aposto, objeto indireto, adjunto adverbial.
c) aposto, adjunto adverbial, adjunto adverbial.
d) sujeito, adjunto adverbial, predicativo.
e) aposto, objeto indireto, adjunto adnominal.

15)  Passando-se o verbo do trecho: "...aquilo que o auditório já sabe" para o futuro composto do subjuntivo, obtém-se a forma verbal:
a) terá sabido.
b) ter sabido.
c) tiver sabido.
d) tenha sabido.
e) souber.

16)  A classe gramatical da expressão ao contrário, em "mas, ao contrário, tende a satisfazer as exigências do mercado" , é:
a) locução prepositiva.
b) locução adverbial.
c) advérbio de negação.
d) conjunção coordenativa adversativa.
e) conjunção subordinativa concessiva.

17)  Entende-se por literatura informativa no Brasil: 
a) o conjunto de relatos de viajantes e missionários europeus, sobre a natureza e o homem brasileiro.
b) a história dos jesuítas que aqui estiveram no século XVI.
c) as obras escritas com a finalidade de catequese do indígena.
d) os poemas do Padre José de Anchieta.
e) os sonetos de Gregório de Matos.

18)  "E fria, fluente, frouxa claridade
flutua como as brumas de um letargo" .
Nestes versos de Cruz e Souza, encontra-se um dos traços característicos do estilo simbolista:
a) utilização do valor sugestivo da música e da cor.
b) rima, aproximativa: uso de aliterações.
c) presença de onomatopéias.
d) uso de antinomias.
e) emprego de expressões arcaicas.

19)  O bifrontismo do homem, santo e pecador; o impulso pessoal prevalecendo sobre normas ditadas por modelos; o culto do contraste; a riqueza de pormenores são traços constantes de:
a) composição poética parnasiana.
b) poesia simbolista.
c) produção poética arcádica de inspiração bucólica.
d) poesia barroca.
e) poesia condoreirista.

20)  Sobre o romance indianista de José de Alencar, pode-se afirmar que:
a) analisa as reações psicológicas da personagem como um efeito das influências sociais.
b) é um composto resultante de formas originais do conto.
c) dá forma ao herói amalgamando-o à vida da natureza.
d) representa contestação política ao domínio português.
e) mantém-se preso aos modelos legados pelos clássicos.

21)  O movimento estético que inaugura o Modernismo em Portugal, e cujos poetas buscavam viver a "aventura do espírito" , foi o:
a) Saudosismo.
b) Surrealismo.
c) Presencismo.
d) Orfismo.
e) Neo-realismo.

22)  Bocage foi:
a) o poeta mais representativo do Arcadismo em Portugal.
b) o poeta mais representativo do Arcadismo no Brasil.
c) um poeta pré-romântico.
d) o escritor-chave para a compreensão do movimento Barroco.
e) um cronista medieval.

23)  Guerra Junqueiro pode ser enquadrado no movimento estético realista porque:
a) voltou-se para a análise das camadas profundas do inconsciente.
b) escreveu poemas de combate social.
c) desenvolveu, em seus romances, a crítica social.
d) buscou revitalizar a musicalidade do verso.
e) procurou as raízes históricas da nação.

24)  Caracteriza o teatro de Gil Vicente:
a) a revolta contra o Cristianismo.
b) a obra escrita em prosa.
c) a elaboração requintada dos quadros e cenários apresentados.
d) a preocupação com o Homem e com a Religião.
e) a busca de conceitos universais.

GABARITO DOS EXERCÍCIOS DA FUVEST

1 B ,2 C ,3 D ,4 A ,5 E ,6 E ,7 E ,8 A ,9 C ,10 A ,11 E ,12 E ,13 D ,14 A ,15 C ,16 B ,17 A ,18 B ,19 D ,20 C ,21 D ,22 C ,23 B ,24 D

Insira aqui o seu email para receber gratuitamente as atualizações do blog!

Não se esqueça de confirmar sua opção lá no seu e-mail!

Nenhum comentário :

Postar um comentário