Aprenda AGORA Português

Dia da consciência negra - Poema de Oliveira Silveira


A Caixa em celebração ao dia da Consciência Negra, fez um filme de 30 segundos desenvolvido a partir de uma obra do poeta e pesquisador Oliveira Silveira* (1941-2009) em homenagem aos seus 14 mil funcionários afrodescendentes. Você poderá ler o poema “Encontrei minhas origens" logo abaixo. A proposta do filme, segundo o diretor Antonio Batista foi “mostrar o negro como agente de sua libertação”, e não como beneficiário da Lei Áurea, de 13 de maio de 1888. “A liberdade do negro não foi doada, mas sim conquistada. O filme é afirmativo e mostra o orgulho do negro por suas origens”.

DIA_DA_CONSCIENCIA_NEGRA

LEIA O POEMA "ENCONTREI MINHAS ORIGENS"

Encontrei minhas origens

Encontrei minhas origens
Em velhos arquivos
Livros

Encontrei
Em malditos objetos
Troncos e grilhetas

Encontrei minhas origens
No leste
No mar em imundos tumbeiros

Encontrei
Em doces palavras
Cantos

Em furiosos tambores
Ritos

Encontrei minhas origens
Na cor de minha pele
Nos lanhos de minha alma

Em mim
Em minha gente escura
Em meus heróis altivos

Encontrei
Encontrei-as, enfim
Me encontrei.

(*) O professor, poeta e pesquisador gaúcho Oliveira Ferreira da Silveira foi o idealizador do Dia da Consciência Negra.


Receba nossa newsletter com exercícios e os gabaritos

Um comentário :