Aprenda AGORA Português

3 exercícios sobre transitividade verbal

Estes exercícios que você fará agora tratam de um assunto comum nos vestibulares: transitividade verbal. Faça-os e dê um retorno nos comentários sobre suas respostas.

Imagem 088

1. Substitua os termos destacados nas frases seguintes pelos pronomes oblíquos átonos apropriados.
a)  Não quero aborrecer aqueles senhores.
b)  Vou ajudar aquelas crianças de rua.
c)  Não queremos prejudicar os participantes da prova.
d)  Vou enviar estes pacotes de alimentos aos flagelados.
e)  Vou enviar estes pacotes de alimentos aos flagelados.
f)  Seu sonho é namorar a Júlia.
g)  Vim aqui alegrar os amigos.
h) Prezo muito esse intelectual.
i) Não obedeci aos meus pais.
j) Não responderam aos que enviaram pedidos de informações.

2. Em cada item você encontrará uma frase típica da linguagem coloquial. Adapte cada uma delas à regência verbal da língua culta.
a)  Não se aborreça comigo, querida: eu lhe amo muito.
b)  Desde que ihe vi, ando muito satisfeito.
c)  Eu não me simpatizo muito com essas ideias.
d)  Eu não obedeço sinal fechado, não.
e)  Respondi o bilhete que você me mandou.
f) Não posso lhe proteger contra ele.
g) Se Deus lhe ajudar, tudo vai dar certo.
h) Não vou lhe amolar mais, não.
i) Só queria lhe abraçar.

3. Comente a regência verbal da frase seguinte.

“As medidas emergenciais consistem de novas regras para as aplicações financeiras e de um novo sistema de controle de divisas.”

Por que é tão difícil escrever certo?

Olhando o Twitter hoje de manhã, uma questão veio à tona: Por que é tão difícil escrever certo?

Não é uma questão muito original, eu sei, mas chegou a ser objeto de teses de mestrado.

Tese: Análise da escrita ortográfica de crianças em diferentes contextos de produção de texto

A resposta para a questão que dá título ao post é uma só para a maioria das pessoas: confusão no uso dos fonemas e grafemas.

imagem_erro_de_portugues_7Imagem de arquivo pessoal copiado na internet (rs)

Para quem não sabe, ou não se lembra, os fonemas são padrões que se referem aos sons da linguagem, que, como sabemos, são faláveis e audíveis. As letras, ou grafemas,  são sinais gráficos, portanto, decodificáveis pela visão, e no nosso sistema de escrita, procuram representar os fonemas. O problema começa quando vemos que essa representação não é perfeita:

  • há letras que podem representar fonemas diferentes, como o c, em casa e cela;
  • há fonemas que são representados por letras diferentes, como o que as letras g e j representam em girafa e janela;
  • há casos em que um único fonema é representado por mais de uma letra, como em queda;
  • há casos em que uma só letra representa dois fonemas, como o x de táxi (ks);
  • há até mesmo um caso de letra que não corresponde a nenhum fonema, como o h de hora.

O principal motivo prático para estudar Fonologia é justamente aprender a lidar com essas inconsistências do sistema de representação escrita da língua portuguesa.

Por fim, se não tem paciência nem é esforçado para estudar isso, leia muito. Pelo menos decorar a grafia, ainda que não saiba o porquê, não fará você passar vergonha ao pedir “ALMENTO” ao seu chefe.

Economize no material escolar

Muitas pessoas que visitam o Análise de Textos têm filhos em idade escolar. Por isso, considero muito importante que posts como este sejam feitos, pois todos nós precisamos economizar. Além das despesas inevitáveis de começo de ano, como IPVA e IPTU, temos um gasto a mais: lista de material escolar.

material_escolar

Para ajustar os gastos ao orçamento e fugir das armadilhas do consumo descontrolado, a velha e boa pesquisa ainda é uma prática cansativa, mas muito importante. Algumas atitudes simples podem fazer muito bem ao bolso. Procure não se render ao consumismo inconsciente dos filhos. Os materiais "maquiados" que eles pedem são mais caros por um simples decalque de super-herói no caderno, estojo ou na mochila. Muitas vezes isso chega a mais que dobrar o preço destes produtos.Outra atitude, ainda pouco utilizada, pode ser de grande valia. É a compra em sistema de cooperativismo. Para isso, reúna os moradores do condomínio, da rua, do trabalho, do clube e se organize para uma compra coletiva de itens comuns da lista, como papel, caneta, borracha e régua. Com certeza haverá alguma economia. E para o ano que vem mais adeptos se juntarão ao grupo organizado.

Além dessas dicas, observe as abaixo:

  • Verifique quais os produtos da lista você já possui em casa e podem ser reaproveitados, entre eles os já utilizados por outra criança;
  • Participe da troca de livros didáticos com pais que têm filhos em idade escolar diferente
  • Atenção para a compra de vendedores ambulantes: o preço pode ser menor, mas não há emissão de nota fiscal e muitas vezes os produtos não têm certificação do órgão responsável.

O que a escola não pode fazer

  • Solicitar a compra de materiais de uso coletivo, como material de higiene e limpeza;
  • Cobrar taxas para suprir despesas com água, luz e telefone;
  • Exigir a aquisição de produtos de marca específica;
  • Determinara loja ou livraria onde o material deve ser comprado

E a qualidade dos produtos?

Segundo o Procon, todo produto deve apresentar informações adequadas, claras, com especificação correta sobre quantidade, características, composição, qualidade, prazo de validade e preço, bem como os riscos que apresentam à saúde e segurança dos consumidores.
Os produtos importados devem seguir as mesmas recomendações dos nacionais e apresentar as informações em língua portuguesa.
O prazo para reclamar de produtos que apresentem algum problema é de 30 dias (não duráveis) e 90 dias (duráveis).
Nas compras feitas pela web, telefone ou catálogo, o consumidor tem prazo de sete dias para se arrepender.

Sou obrigado a comprar uniforme escolar?

Quanto ao uniforme escolar, atente pra isto:

  • Verifique se existe a obrigatoriedade do uniforme na escola;
  • Somente se a escola tiver uma marca devidamente registrada, poderá estabelecer que a compra seja feita na própria escola ou em outros estabelecimentos predeterminados.

Para ter mais informações visite o site do Procon: www.procon.sp.gov.br

Exercício sobre variação linguística

Texto 1

O poeta da roça

Sou fio das mata, cantô da mão grossa,
Trabaio na roça, de inverno e de estio.
A minha chupana é tapada de barro,
Só fumo cigarro de paia de mio.

Sou poeta das brenha, não faço o papé
De argum menestré, ou errante cantô
Que veve vagando, com sua viola,
Cantando, pachola, à percura de amô.

Não tenho sabença, pois nunca estudei.
Apenas eu sei o meu nome assiná.
Meu pai, coitadinho! vivia sem cobre,
E o fio do pobre não pode estudá.

Meu verso rastero, singelo e sem graça,
Não entra na praça, no rico salão,
Meu verso só entra no campo e na roça,
Nas pobre paioça, da serra ao sertão.

Só canto o buliço da vida apertada,
Da lida pesada, das roça e dos eito.
E às vez, recordando a feliz mocidade,
Canto uma sodade que mora em meu peito.

Eu canto o caboco com suas caçada,
Nas noite assombrada que tudo apavora,
Por dentro da mata, com tanta corage
Topando as visage chamada caipora.

Eu canto o vaquero vestido de coro,
Brigando com o toro no mato fechado,
Que pega na ponta do brabo novio,
Ganhando lugio do dono do gado.

Eu canto o mendigo de sujo farrapo,
Coberto de trapo e mochila na mão,
Que chora pedindo o socorro dos home,
E tomba de fome, sem casa e sem pão.

E assim, sem cobiça dos cofre lüzente,
Eu vivo contente e feliz com a sorte,
Morando no campo, sem vê a cidade,
Cantando as verdade das coisa do Norte.

ASSARÉ, Patativa do. Cante lá que eu canto cá.5. ed. Petrópolis: Vozes, 1984.

Texto 2

CAPÍTULO III

Da Educação, da Cultura e do Desporto

Seção I Da Educação

Art. 205. A educação, direito de todos e dever do Estado e da família, será promovida e incentivada com a colaboração da sociedade, visando ao pleno desenvolvimento da pessoa, seu preparo para o exercício da cidadania e sua qualificação para o trabalho.

Art. 206. O ensino será ministrado com base nos seguintes princípios:
I. igualdade de condições para o acesso e permanência na escola;
II. liberdade de aprender, ensinar, pesquisar e divulgar o pensamento, a arte e o saber;
III. pluralismo de idéias e de concepções pedagógicas e coexistência de instituições públicas e privadas de ensino;
IV. gratuidade do ensino público em estabelecimentos oficiais;
V. valorização dos profissionais do ensino, garantindo, na forma da lei, planos de carreira para o magistério público, com piso salarial profissional e ingresso exclusivamente por concurso público de provas e títulos, assegurado regime jurídico único para todas as instituições mantidas pela União;
VI. gestão democrática do ensino público, na forma da lei;
VII. garantia    de padrão de qualidade.

Constituição da República Federativa do Brasil, de 5 de outubro de 1988.

Texto 3

Poliacrilatos e polimetacrilatos

A história de laboratório dos monômeros acrílicos começou em 1843, quando da primeira síntese do ácido acrílico.
A isto seguiu-se em 1865 a preparação do etil-metacrilato, por Frankland e Duppa, enquanto que em 1877 Fittig e Paul notavam que ele possuía uma certa tendência para polimerizar. Por volta de 1900, a maioria dos acrilatos mais comuns havia sido preparada em laboratório e ao mesmo tempo já existiam alguns trabalhos sobre a sua polimerização. Em 1901, o Dr. Rohm, na Alemanha, começou um estudo sistemático no campo dos acrílicos e mais tarde tomou parte ativa no desenvolvimento industrial dos polímeros do éster acrílico naquele país. O polimetilacrilato foi o primeiro polímero acrílico produzido industrialmente (por Rohm e Haas, em 1927). Foi vendido como uma solução do polímero em solvente orgânico e foi usado principalmente em laças e formulações para revestimentos superficiais. Mais tarde, Rowland Hill (da I.C.I.) estudou o metílmetacrilato e sua polimerização em profundidade, enquanto que Crawford (também da I.C.I.) desenvolveu um método econômico para a fabricação do monômero.

BRISTON, J. H. & MILES, D. C. Tecnologia dos polímeros. São Paulo: Polígono/Edusp, 1975.

  1. A forma de língua portuguesa apresentada no texto 1 nos remete a que tipo de realidade? Comente.
  2. O texto 2 é uma poética, ou seja, é um texto que expõe as propostas criativas de um poeta. Na sua opinião, a forma de língua pela qual o artista optou e a temática de sua poesia se harmonizam? Por quê?
  3. Observe, ainda no texto 1, as formas fio, mio, paioça (correspondentes, na língua-padrão, a filho, milho e palhoça, respectivamente) ou os plurais "das mata", "das brenha", "das roça e dos eito", "dos home" e outros. As diferenças entre essas formas e aquelas da língua-padrão são sistemáticas, ou seja, seguem determinados padrões. Observe e comente.
  4. A que grupo social pertencem as pessoas que utilizaram a forma de língua portuguesa do texto 2? Por que usaram essa forma de língua?
  5. Que tipo de conhecimento é necessário para a perfeita compreensão do texto 3? Que forma de língua é aí apresentada?
  6. Que fatores estão na origem destas três variantes da língua portuguesa?

Com um pouco mais de tempo, postarei a resolução dos exercícios deste post lá no blog de Downloads do Análise de Textos. Não conhece? Visite-o agora!

Exercício sobre grafia correta do verbo

30 anos de futebol_0398 (Mackenzie 1996) - Assinale a alternativa que apresenta total correção quanto à ortografia e à acentuação ortográfica dos verbos destacados.
a) Quando você o VIR, notará que, no passado, ele CREU nos homens, já PÔDE, portanto, ser feliz um dia.
b) Os tios PROVÊM a casa com alimentos e frutas, CONVÉM que as crianças DÊEM valor a tudo.
c) Ele INTERVEIO na discussão para que nós REAVÊSSEMOS o dinheiro perdido E VÍSSEMOS uma saída.
d) Se você REPUSER o que gastou, prometo que o advogado não mais INTERVIRÁ em nossas vidas, como também DESFAZERÁ os mal-entendidos com a sua família.
e) Hoje, enquanto ENXAGÚO a louça, ABENÇÔO a água e REÚNO forças para enfrentar a luta.

Exercício de interpretação com o verbete BICHA

a 19.° Anuário do Clube de Criação de São Paulo (1994), p. 319.

Verbete bicha

bicha S. f.

1.    Bras. V. lombriga.
2.    Bras. V. sanguessuga (1).
3.    Dança na qual todos os pares se enfileiram, dando-se as mãos.
4.    V. fila1 (2): "Na exposição do corpo [de Sidônio Pais] na Câmara Municipal, uma bicha enorme, uma bicha a quatro de largo, prolongava-se pela Rua dos Capelistas, ascendendo até ao catafalco." (Raul Brandão, Vale de Josafá, p. 99.)
5.    Ant. Escaler da alfândega usado na fiscalização.
6.    Galão ou divisa na manga de um uniforme ou farda.
7.    Brinquedo de crianças, que imita um lagarto ou uma cobra.
8.    Bras. Diabinho-maluco.
9.    Bras. RJ Serpentina de alambique, nos engenhos de açúcar.
10.  Bras. N.E. Gír. V. cachaça (1).
11.  Bras. Gír. Chulo Efeminado (6).
12.  Fam. Mulher muito irritadiça.
13.  Gír. Febre amarela. ~ V. bichas.

•    Bicha de rabear. Bras.
1. Fogo de artifício que descreve rápidas voltas pelo chão; mosquito.

•    Fazer bichas. Bras.
1. Praticar travessuras.

Dicionário Aurélio eletrônico - século XXI. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2000.

As variações de ordem geográfica da Língua Portuguesa podem causar efeitos curiosos de significado?

Exercício com poema “Seus olhos”

(Pucrio 1999) - SEUS OLHOS

Oh! rouvre tes grands yeux dont la paupiere
tremble,
Tes yeux pleins de langueur;
Leur regard est si beau quand nous sommes
ensemble!
Rouvre-les; ce regard manque à ma vie, il semble
Que tu fermes ton coeur.
Turquety

Seus olhos tão negros, tão belos, tão puros,
De vivo luzir,
Estrelas incertas, que as águas dormentes
Do mar vão ferir;

Seus olhos tão negros, tão belos, tão puros,
Têm meiga expressão,
Mais doce que a brisa, - mais doce que o nauta
De noite cantando, - mais doce que a frauta
Quebrando a soidão.

Seus olhos tão negros, tão belos, tão puros,
De vivo luzir,
São meigos infantes, gentis, engraçados
Brincando a sorrir.

São meigos infantes, brincando, saltando
Em jogo infantil,
Inquietos, travessos; - causando tormento,
Com beijos nos pagam a dor de um momento,
Com modo gentil.

Seus olhos tão negros, tão belos, tão puros,
Assim é que são;
Às vezes luzindo, serenos, tranqüilos,
Às vezes, vulcão!

Às vezes, oh! sim, derramam tão fraco,
Tão frouxo brilhar,
Que a mim me parece que o ar lhes falece,
E os olhos tão meigos, que o pranto umedece
Me fazem, chorar.

Assim lindo infante, que dorme tranqüilo,
Desperta a chorar;
E mudo e sisudo, cismando mil coisas,
Não pensa - a pensar.

Nas almas tão puras da virgem, do infante,
Às vezes do céu
Cai doce harmonia duma Harpa celeste,
Um vago desejo; e a mente se veste
De pranto co'um véu.

Quer sejam saudades, que sejam desejos
Da pátria melhor;
Eu amo seus olhos que choram sem causa
Um pranto sem dor.

Eu amo seus olhos tão negros, tão puros,
De vivo fulgor;
Seus olhos que exprimem tão doce harmonia,
Que falam de amores com tanta poesia,
Com tanto pudor.

Seus olhos tão negros, tão belos, tão puros,
Assim é que são;
Eu amo esses olhos que falam de amores
Com tanta paixão.

(Gonçalves Dias, A. POESIA E PROSA COMPLETAS. Rio de Janeiro, Ed. Nova Aguilar, 1998, pp. 131-132.)

30 anos de futebol_0387Aponte a única opção que apresenta um conjunto de palavras que, no texto, pertencem à mesma classe morfológica.
a) luzir (I. 2) - ferir (I. 4) - sorrir (I. 13)
b) que (o ar lhes falece) (I. 25) - que (o pranto umedece) (I. 26) - que (dorme tranqüilo) (I. 28)
c) luzir (I. 11) - brilhar (I. 24) - dor (I. 40)
d) dormentes (I. 3) - tormento (I. 16) - infante (I.32)
e) desejo (I. 35) - amo (I. 39) - vivo (I. 42)

Exercício sobre grafia de verbos

 30 anos de futebol_0394 (Uelondrina 1995) - Assinale a letra correspondente à alternativa que preenche corretamente as lacunas da frase apresentada.

Se você não ..... o que sacou da minha conta e se eu não ..... meu crédito junto à gerência, ..... responder a um processo.
a) repuser - reaver - caber-lhe-á
b) repuser - reouver - caber-lhe-á
c) repor - reouver - couber-lhe-á
d) repor - reaver - caber-lhe-á
e) repuser - reouver - couber-lhe-á

CPLP - Comunidade dos Países de Língua Portuguesa

dicas_educação_projetos_dinâmica "A Comunidade dos Países de Língua Portuguesa - CPLP é o foro multilateral privilegiado para o aprofundamento da amizade mútua e da cooperação entre os seus membros. Criada em 17 de Julho de 1996, a CPLP goza de personalidade jurídica e é dotada de autonomia financeira. A Organização tem como objectivos gerais:

  • A concertação político-diplomática entre seus estados membros, nomeadamente para o reforço da sua presença no cenário internacional;
  • A cooperação em todos os domínios, inclusive os da educação, saúde, ciência e tecnologia, defesa, agricultura, administração pública, comunicações, justiça, segurança pública, cultura, desporto e comunicação social;
  • A materialização de projectos de promoção e difusão da língua portuguesa.

A sede da CPLP está em Lisboa, Portugal. Os estados membros da CPLP são, por ordem alfabética: Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe, Timor-Leste."

Esses dados foram extraídos do endereço eletrônico da CPLP (www.cplp.org). Se você for até lá, vai encontrar muitas coisas interessantes sobre os países que falam português. Outros endereços eletrônicos relacionados ao mundo da língua portuguesa que você deve visitar são o do Instituto Camões (www.instituto-camoes.pt) e o da Estação Luz da Nossa Língua (www.estacaodaluz.org.br).

Propostas de redação dissertativa [ 3 temas]

Já postei uma outra proposta de redação dissertativa semelhante a essa. esta é mais uma chance de você treinar para produzir bons textos para o vestibular.

Leia as propostas abaixo, escolha uma e desenvolva seu texto.

Proposta 1:

Um problema cada vez mais comum na adolescência é a proliferação de DST’s e de casos de gravidez. Falta de informação? Falta de prevenção? Liberdade excessiva?

Proposta 2:

Em fevereiro de 2009, o mundo ficou espantado com a violência sofrida por uma advogada brasileira em Dübendorf, cidade da Suíça. Ela teria sido agredida e muito machucada por neonazistas, num ataque brutal de xenofobia (desconfiança, temor ou antipatia por estrangeiros). A jovem advogada teria, inclusive, sofrido um aborto de gêmeos, sendo encaminhada para o hospital em estado de choque. Até o presidente Lula declarou publicamente seu horror diante do acontecido. Poucos dias depois, contudo, o mundo inteiro se revoltou, ao descobrir que tudo era uma grande inverdade. Todos nós, certamente, conhecemos vários mentirosos. Por que eles existem? O que é, afinal, a mentira: doença, problema moral, necessidade irresistível, brincadeira? Ou o ato de mentir é provocado por todas essas razões?

Proposta 3:

xenofobia_redacao_imagem_gratis

Existe mesmo uma raça que pode ser considerada superior?

Instruções:

- Faça seu texto à caneta;

- Escreva entre 20 e 25 linhas;

- Use o padrão culto da linguagem;

- Procure dar exemplos concretos para fundamentar sua argumentação.

Proposta de dissertação sobre política

Trago hoje mais uma proposta de redação que usei com meus alunos nos últimos dias de aula. Mais uma vez é uma proposta de redação dissertativa.

Leia a coletânea abaixo e desenvolva a proposta dada.

Texto 1:

Saiba detalhes do desempenho de Tiririca nas provas de leitura e QI

Eleito deputado federal com 1,3 milhão de votos, o comediante Francisco Everardo, o Tiririca, teve de provar na Justiça que sabe ler e escrever, exigência da Constituição para se candidatar a cargo eletivo. O “Fantástico” teve acesso a detalhes das provas de leitura e QI aplicadas ao comediante, que contratou especialistas para se preparar para os testes.

Os resultados mostram que ele errou oito de dez palavras em um ditado, ignorou o “s” das palavras e demorou cerca de três minutos para ler uma manchete e duas linhas de um jornal. No entanto, em um teste aplicado posteriormente, o desempenho melhorou e ele foi considerado apto a tomar posse como deputado. O Ministério Público afirmou que vai recorrer.

(http://g1.globo.com/politica/noticia/2010/12/saiba-detalhes-do-desempenho-de-tiririca-nas-provas-de-leitura-e-qi.html)

Texto 2:

política_tiririca_imagem_gratis

Baseado na leitura dos textos, redija um texto dissertativo em prosa sobre o seguinte tema:

A política brasileira vive uma crise de credibilidade? É possível confiar nos políticos que temos?

Instruções:

- Faça seu texto à caneta;

- Escreva entre 20 e 25 linhas;

- Use o padrão culto da linguagem;

- Procure dar exemplos concretos para fundamentar sua argumentação.

A origem da Língua Portuguesa

A formação, o desenvolvimento e a expansão da língua portuguesa estão obviamente vinculados à história dos povos que a criaram e ainda hoje a empregam e transformam. O português é uma língua neolatina, novilatina ou românica, pois foi formado a partir das transformações verificadas no latim levado pelos dominadores romanos à região da Península Ibérica que hoje é Portugal. As primeiras palavras documentadas da língua portuguesa se encontram em textos do século IX; a partir do século XII, o português passou a ser sistematicamente documentado por escrito. Há obviamente muitas diferenças entre o português desses primeiros registros e o atual.

lingua_portuguesa

A partir do século XV, com as grandes navegações, a língua portuguesa foi levada a várias regiões do planeta por conquistadores, colonos e emigrantes. Atualmente, a situação do português no mundo é aproximadamente a seguinte:

  • em alguns países, é a língua oficial, o que lhe confere unidade, apesar da existência de variações regionais e da convivência com idiomas nativos. Incluem-se nesse caso Brasil, Portugal, Angola, Moçambique, Guiné-Bissau, Cabo Verde, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste;
  • em regiões da Ásia (Macau, Goa, Damão, Dio), é falado por uma pequena parcela da população ou deu origem a dialetos.
    Lusofonia

Segundo o dicionário Houaiss, lusofonia é "o conjunto daqueles que falam o português como língua materna ou não". Outro significado do termo, indicado no mesmo dicionário, é "conjunto de países que têm o português como língua oficial ou dominante".

Aspectos diferenciais da língua falada e da escrita

exercicio_gramatica__redacao (142) Língua falada e língua escrita
Falar ou escrever também implica profundas diferenças na elaboração dos textos. A tal ponto chegam essas variações que se pode considerar que a língua tem duas modalidades diferentes: a língua falada e a língua escrita. Essas duas modalidades atendem a necessidades diferentes da nossa vida social - e por isso as devemos conhecer bem a fim de lidar com elas satisfatoriamente. Passamos boa parte do tempo transitando entre essas duas modalidades da língua. Para perceber isso, basta você pensar nas notícias de jornal que lê e que depois conta aos colegas ou na conversa que ouviu e que quer transformar num texto escrito (uma carta ou e-mail, por exemplo). Esse processo de transformação da fala na escrita e da escrita na fala é a chamada retextualização. Por fim, é necessário dominar com proficiência as características de cada tipo de texto falado ou escrito para efetuar bem essa tarefa.

Variações linguísticas situacionais

exercicio_gramatica__redacao (50)
Situacionais
Em diferentes situações comunicativas, um mesmo indivíduo deve reconhecer e empregar diferentes formas de língua. Basta pensar nas atitudes que assumimos em situações formais (como um discurso numa solenidade de formatura) e em situações informais (uma conversa descontraída com amigos, por exemplo): em cada uma dessas oportunidades, empregamos formas de língua diferentes, procurando adequar nosso nível vocabular, sintático e textual ao ambiente lingüístico em que nos encontramos. Quando essa adequação não é bem-feita, produzem-se textos equivocados, que transmitem aos nossos interlocutores uma imagem negativa a nosso respeito - passamos a ser considerados despreparados e incompetentes lingüisticamente. Particularmente no mundo escolar e no mundo do trabalho, podemos ser seriamente prejudicados por esse mau desempenho lingüístico. Por isso, convença-se de que falar e escrever bem uma língua é ser capaz de modular o uso de suas formas de acordo com a situação de interação que se está vivenciando.

Exercício de interpretação [Revista Época]

propaganda

1. Alfabetizado é uma palavra que normalmente se emprega em relação a seres humanos. Comente o efeito de sentido que se obtém quando se usa essa palavra para caracterizar um país.

2. "Nunca é tarde para aprender, sempre é hora de ensinar". Comente o efeito de sentido que produz a aproximação de palavras como nunca e sempre ou aprender e ensinar.

3. Segundo o texto, a alfabetização é "um dos princípios básicos da cidadania". De acordo com o mesmo texto, para que serve ser alfabetizado?

4. Conhecer e utilizar eficientemente a língua escrita é o mesmo que ser alfabetizado? Comente, considerando a resposta à questão anterior.

5. Por que o Ministério da Educação e o Governo Federal fazem publicar textos como esse em revistas como a Época?

O comentário sobre o exercício você encontrará no blog de Donwloads do Análise de Textos.

Exercício sobre linguagem na propaganda

Digitalizar0003Transcrição do texto da imagem:

Prepare-se para participar da Conferência Mundial da Imprensa nas Comunidades de Língua Portuguesa. Um grande encontro que vai reunir culturas de várias regiões do mundo, diferentes filosofias de trabalho e experiência de diversos profissionais de comunicação. Esse evento será realizado na cidade de São Paulo, no período de 17 a 20 de abril do ano 2000, e terá como objetivo discutir a integração entre os países de língua portuguesa e as melhores estratégias para a difusão do nosso idioma. Participarão como palestrantes dessa Conferência lideranças empresariais de vários meios de comunicação, personalidades acadêmicas e profissionais da imprensa dos países de língua portuguesa: Brasil, Portugal, Angola, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, São Tomé e Príncipe, Macau, Goa e Timor-Leste. Paralelo à Conferência, acontecerão também Seminários Internacionais de Jornalismo, Publicidade, Mídia, Literatura e Ciência da Comunicação. Conferência Mundial da Imprensa nas Comunidades de Língua Portuguesa. Um grande momento para você compartilhar suas experiências e conhecer um novo mundo. O mundo que fala a nossa língua.

1. De acordo com o texto dado, que tipos de meios de comunicação e de profissionais estão diretamente ligados ao trabalho com a língua portuguesa?

2. Conhecer a língua portuguesa é ter um mercado de trabalho à sua disposição. Justifique essa afirmação com base nesse texto publicitário.

3. De que maneira a mensagem visual transmitida pelo anúncio sugere a idéia de que a língua portuguesa apresenta unidade na sua diversidade? Comente.

4. Na sua opinião, qual a importância de um encontro como o que o texto anuncia? Por quê?

Um comentário sobre este exercício foi publicado no meu blog de downloads de exercícios e apostilas. Visite-o clicando AQUI.

Variações linguísticas profissionais

Você está acompanhando as postagens sobre variações linguísticas? Não? Não perca nenhum post clicando nos marcadores na lateral do blog. Procure por “Tipos de variação linguística” ou clique aqui.
exercicio_gramatica__redacao (49)
Profissionais
O exercício de certas profissões e atividades requer o domínio de certas formas de língua chamadas línguas técnicas ou jargões. Abundantes em termos específicos, essas variantes têm seu uso praticamente restrito ao intercâmbio técnico de engenheiros, médicos, lingüistas, químicos e outros especialistas. Quando empregadas fora desses grupos de especialistas, tendem a ser vistas como sinal de pedantismo ou de vazio retórico. Deve-se sempre considerar a possibilidade de que alguém opta por empregar seu jargão para não ser entendido pelos interlocutores, que se sentiriam intimidados pelo linguajar técnico e silenciariam diante dele.

Exercício sobre propaganda publicitária [gabarito]

Publiquei há algum tempo um exercício com uma propaganda do Banco do Brasil. Você pode conferí-lo nesse link. Aqui, trago um comentário sobre o exercício com o texto publicitário. É preciso aprofundar com os alunos nesse tipo de texto, pois os vestibulares o estão usando e as aulas de redação cada vez mais o apresenta como coletânea.

Variações linguísticas sociais

No post passado sobre variações linguísticas falamos dos aspectos geográficos. Hoje, falaremos sobre os aspectos sociais da variação linguística.

Val d'Orcia, Siena

Sociais

O português empregado pelas pessoas que têm acesso à escola e aos meios de instrução formal difere do português empregado pelas pessoas privadas de escolaridade. Algumas classes sociais e profissionais, assim, organizam e dominam uma forma de língua que goza de prestígio, enquanto outras são vítimas de preconceito por empregarem formas de língua socialmente consideradas "incultas". Cria-se, dessa maneira, uma modalidade de língua - a norma culta -, cujos modelos costumam combinar formas utilizadas por escritores considerados "clássicos" com outras codificadas em gramáticas prescritivas. A norma culta deve ser adquirida durante a vida escolar e seu domínio é solicitado como forma de ascensão profissional e social. Nos últimos tempos, tem ganhado força a idéia de que é necessário estabelecer com clareza as formas de uma língua-padrão, baseada principalmente no uso que os meios de comunicação fazem da língua portuguesa. Essa língua-padrão teria o importante papel de atuar como uma forma nacional e internacionalmente reconhecida da língua e seria adequada à elaboração de textos apropriados às interações profissionais e oficiais, além daqueles mais típicos das publicações jornalísticas. Neste livro, é principalmente a língua-padrão que se mostrará a você, por meio do trabalho de leitura e reflexão com diversos tipos de textos, particularmente aqueles extraídos de jornais e revistas. Também são socialmente condicionadas certas formas de língua desenvolvidas para que apenas os integrantes de um determinado grupo social as compreendam e empreguem adequadamente. Assim se formam as gírias, variantes lingüísticas que, para se manterem exclusivas de pequenos grupos, estão sempre em processo de modificação.

Exercício de variação linguística e persuasão

O exercício proposto abaixo baseia-se numa propaganda publicitária. Faça-o, pois é cada vez mais comum o uso desses textos em exames vestibulares e coletâneas de redação.

jeito_de_falar

O "jeitinho de falar que cativa na hora" é uma das atrações turísticas do Ceará. De que forma o texto publicitário a utiliza em seu processo de persuasão? Esse texto publicitário é adequado ao público a que se dirige? Comente.

Exercício de interpretação de texto – Ensino Fundamental

É bastante comum a procura por exercícios de interpretação de textos. Com as mudanças no Novo ENEM, o modelo de exercícios de português deixou de ser baseado no decoreba e passou-se a valorizar o conhecimento contextualizado da Língua Portuguesa. É por isso que o exercício de interpretação abaixo pode ajudar seus alunos a melhorar na compreensão de texto. Ele pode ser usado também como atividade complementar para que eles desenvolvam o gosto pela leitura.



 
Coisas que pegamos no quintal…
DE MARICÁ PARA MARICOLÁ

Bruxa bonita não tem vez!
Vejam vocês que Maricolá se jogou no mar porque suas irmãs, Maricá, e Marilá, a transformaram numa pessoa horrorosa. Ela estava pensando como recuperar sua vassoura para se locomover com mais facilidade, no fundo do mar ou quem sabe, até, voltar para o penhasco, quando...
Nesse instante bateram na porta. Marcelina, a sereia-secretária, veio nadando apressadinha, murmurou um “com licença” e foi atender.
Era o Peixe-Serra, o correio do fundo do mar, trazendo uma carta presa ao serrote.
- Diga pra dona da casa botar luz na entrada da gruta. Custei pra achar o número e isso não está certo! – queixou-se ele.
- Deve ter acontecido alguma coisa com os peixes de iluminação. Mas também, por que não trabalha de dia? São horas de entregar cartas?
- Aí no envelope está escrito “urgente”, o que quer dizer “o mais depressa possível”. Pode ser até uma questão de vida ou morte. Ande, menina! Corra pra dentro e entregue a carta. Se tiver resposta eu levo.
Marcelina obedeceu resmungando:
- Não é urgente coisa nenhuma! Está amarrada com uma pedrinha e isso quer dizer que é mais uma carta cheia de desaforos das bruxas do alto do penhasco. Dona Guiomar vai ler e jogar no lixo.
Mas depois viu que a carta estava endereçada a Maricolá. Estava escrito no envelope:
Exma. Srta.
Maricolá Alvissareira da Penha
Aos cuidados da Dona Guiomar Marazul
Alameda das Esponjas Vermelhas nº 25
URGENTE
- Aquela bruxa esquisita mal chegou e já está recebendo cartas, e ainda por cima, carta urgente – pensou Marcelina desconfiada. Entregou a carta a Maricolá e ficou parada diante dela olhando-a com grande curiosidade.
Era uma carta de Maricá. A bruxinha leu e fez a cara mais espantada do mundo. Nunca pensou que a irmã pudesse escrever uma coisa assim tão carinhosa. A carta dizia:
“Querida Franguinha Gorducha, como vai? Não se resfriou ainda na água fria? Estamos muito preocupadas e achamos que está na hora de você voltar. Sabe que se ficar mais tempo pode virar um marisco, um tubarão ou uma água-viva! Estamos mais do que preocupadas, estamos APAVORADAS.
Por favor, irmãzinha, pegue lápis e papel e escreva à sua vassoura, pedindo para ela ir buscar você. E depressa ouviu? A carta tem que ser enviada para a Praia do Mar-Virado. Eu e a Marilá vamos passar a noite lá, esperando.
Sete beijinhos para você.”
E depois vinha a assinatura:
“Maricá”
Maria Heloisa Penteado (Adaptado de Maricá, Marilá e Maricolá.



Questão 01- Procure no texto as palavras que significam:
a) mais que preocupadas
b) morro alto de pedra
c) o mais depressa possível
d) carta destinada a Maricolá

Questão 02 - Responda as questões, de acordo com o texto:
a) Por que o Peixe-Serra pediu para botar luz na entrada da gruta?
b) Que motivo levou o Peixe- Serra a não esperar o dia para entregar a carta?
c) O que fez Marcelina pensar que a carta havia vindo do penhasco?
d) Por que Maricolá ficou espantada ao perceber que a carta era carinhosa e vinda de Maricá?

QUESTÃO 03 - Responda
a) Por que o texto se chama “De Maricá para Maricolá”?
b) Que outro título você daria para esse texto? Justifique sua resposta.

QUESTÃO 04 - Leia os fatos e complete com as causas que levaram cada um a acontecer.
a) Maricolá se jogou no mar.
Causa –
b) Maricá enviou uma carta a Maricolá.
Causa –

QUESTÃO 05 - A saudação da carta é “Querida Franguinha Gorducha...”
a) Por que será que Maricá saudou Maricolá dessa forma?
b) O que você pensa que Maricolá achou desse fato? Justifique sua resposta.

P.s.: Embora não tenha colocado o gabarito deste exercício, vocês podem encontrar muitos outros exercícios dissertativos e também de múltipla escolha já com gabarito. Verifiquem isso clicando em "ÍNDICE" na barra superior do blog.

5 exercícios de Português para Ensino Fundamental

30 anos de futebol_0398

A “Chó” em seu ninho!

Leia os textos a seguir e responda às questões.

TEXTO 1

Rio - Além das vitórias contra Colômbia, por 2 a 1, e Equador, por 1 a 0, e da liderança absoluta nas eliminatórias do Mundial de 2006, o técnico Carlos Alberto Parreira e o coordenador da seleção brasileira, Zagallo, têm outro motivo para comemorar o início da campanha do hexacampeonato. Eles acreditam ter conseguido quebrar a resistência em torno do nome do meia Zé Roberto. “Nunca duvidei da capacidade dele, um jogador que vem melhorando a cada temporada”, disse Parreira. O treinador reconhece que parte da crítica observava o meia do Bayern de Munique com ressalvas. “Por desinformação, creio.”Para Zagallo, o jogador é importante como opção de ataque, no instante em que a zaga adversária se concentra em Ronaldo, Rivaldo e Ronaldinho Gaúcho, e também para ajudar no bloqueio, no meio-de-campo.“O Zé Roberto foi bem no ataque várias vezes nos treinos antes dos dois jogos e repetiu isso depois, notadamente contra a Colômbia, afirmou. “Tem gente que só gosta de reclamar e não quer enxergar o óbvio.”Os elogios vêm de toda parte. O atacante Ronaldo atribuiu a Zé Roberto a base de equilíbrio da equipe e acrescentou que o meia sabe dar dribles curtos que deixam o marcador sem rumo. O lateral Roberto Carlos também enalteceu o colega.
(O Estado de S. Paulo, E6, 14 setembro 2003)

1- O texto informa que

(A) o técnico Parreira tem várias opções de ataque para os próximos jogos da Seleção, com Ronaldo, Rivaldo e Ronaldinho Gaúcho.
(B) os atacantes da Seleção brasileira reclamaram da atuação de Zé Roberto, por estarem desinformados de sua capacidade.
(C) Roberto Carlos criticou, pois queria que o colega o ajudasse no bloqueio, o que não aconteceu, nos jogos da Seleção.
(D) Zé Roberto teve importante atuação nos treinos e no último jogo da Seleção contra a Colômbia.

2- Eles acreditam ter conseguido quebrar a resistência em torno do nome do meia Zé Roberto.

A frase grifada acima significa, respeitando-se o sentido do texto,

(A) diminuir a defesa.
(B) reconhecer os obstáculos.
(C) afastar a oposição.
(D) medir a capacidade.

3- Este texto trata, principalmente, da

(A) excelente atuação de Zé Roberto, na última convocação da seleção.
(B) merecida vitória da seleção, especialmente contra o Equador.
(C) apresentação dos jogadores convocados pelo técnico Parreira.
(D) presença de Zagallo como coordenador da seleção brasileira.

4- De acordo com o texto,

(A) o Brasil jogou primeiramente contra o Equador e depois contra a Colômbia.
(B) a Seleção fez dois jogos, o primeiro deles, contra a Colômbia.
(C) o jogo contra o Equador aconteceu logo depois dos treinos.
(D) Zé Roberto foi elogiado ainda antes dos jogos da seleção.

5-Nunca duvidei da capacidade dele, um jogador que vem melhorando a cada temporada.”

A afirmação acima reproduz

(A) um fato ocorrido durante os treinos.
(B) uma dúvida dos torcedores.
(C) a opinião do técnico Parreira.
(D) um fato que deverá acontecer.

Quais os tipos de variedades linguísticas?

Este post dá início a uma série de artigos sobre variação linguística. Ainda há bastante confusão quanto a isso e parte desse problema decorre dos conceitos errrados de variação linguística, idioma, língua e outros aspectos que abordaremos ao longo da semana.

NOVOP 0148Já falei aqui no blog que há muitas "línguas que fazem a nossa". Alguns fatores capazes de dar origem a variações podem ser:

Geográficos

Há variações entre as formas que a língua portuguesa assume nas diferentes regiões em que é falada. Basta pensar nas evidentes diferenças entre o modo de falar de um lisboeta e de um carioca, por exemplo, ou na expressão de um gaúcho em contraste com a de um amazonense. Essas variações regionais constituem os falares e os dialetos. Não há motivo lingüístico algum para que se considere qualquer uma dessas formas superior ou inferior às outras - é a sociedade que atribui prestígio a algumas delas e condena outras ao desprezo. Felizmente, as formas regionais da língua têm sido objeto de valorização e pesquisa nos últimos tempos, o que tem contribuído para diminuir preconceitos. Como vimos, elas têm servido até mesmo como atrativo turístico...

No próximo post sobre variações linguísticas falaremos sobre as variações de cunho social. Até lá.

Exercício de interpretação com texto publicitário

O exercício de interpretação abaixo foi formulado para ser aplicado em classe, mas você pode desenvolvê-lo sozinho também. Bons estudos.

Digitalizar0002

Observe atentamente o texto publicitário e a partir dele organize uma discussão com seus colegas de classe sobre os diversos sentidos que as situações concretas de utilização adicionam ao significado de uma palavra. Discutam também como o texto utiliza esse fenômeno da linguagem com fins persuasivos, qual a relação entre escrita e imagem no texto e qual a eficiência desse tipo de texto publicitário (lembre-se de levar em conta o tipo de público a que se dirige a publicação da qual foi retirado o anúncio). É verdade que "uma palavra não é só uma palavra"?

Qual o certo? A nível DE ou Em nível DE?

imagem_gratis_dicas_BBB11_flagras (5)A NÍVEL DE ou EM NÍVEL DE?

Em verdade, a forma "a nível de" está incorreta. Deste modo, devemos usar a expressão "em nível de", mesmo assim somente quando houver "níveis".
Exemplos:
Este problema só poderá ser resolvido em nível de diretoria (assessoria, secretaria...).
As decisões tomadas em nível federal (estadual, municipal) poderão ser definitivas.
Observação: Quanto ao mar, é aceitável dizer "ao nível do mar" ou "no nível do mar".

Linguagem e a ação dos interlocutores

linguagem_interacao

Observe atentamente a situação apresentada nos quadrinhos e responda: de que forma o que nela ocorre nos permite concluir que a linguagem é um meio de ação de um interlocutor sobre o outro?

5 exercícios de concordância com gabarito

1) (Uelondrina 1998) - Assinale, a letra correspondente à alternativa que preenche corretamente as lacunas da frase apresentada.

........de quatro meses aquela seca, em que nenhum dos agricultores........colher sequer um terço do que se........imaginado.
a) Foram - conseguiu - haviam
b) Foi - conseguiram - haviam
c) Foi - conseguiu - haviam
d) Foram - conseguiram - havia
e) Foi - conseguiu – havia

imagem_gratis_dicas_BBB11_flagras (103)

2) (Uelondrina 1997) - Assinale a letra correspondente à alternativa que preenche corretamente as lacunas da frase apresentada.

O almoxarifado estava bem .......... de peças para reposição, quando .......... aquela catástrofe.
a) provisto - sobreveio
b) provisto - sobreviu
c) provindo - sobreveio
d) provido - sobreviu
e) provido – sobreveio

3) (Uelondrina 1996) - Assinale a letra correspondente à alternativa que preenche corretamente as lacunas da frase apresentada.

...... com muito rigor as propostas dos servidores; acredito que muita coisa, logo mais, será ...... .
a) Foram repensadas - mudado
b) Foi repensado - mudada
c) Foram repensadas - mudada
d) Foi repensado - mudado
e) Foi repensadas – mudada

4) (Faap 1996) - SONETO DE SEPARAÇÃO

De repente do riso fez-se o pranto
Silencioso e branco como a bruma
E das bocas unidas fez-se a espuma
E das mãos espalmadas fez-se o espanto.

De repente da calma fez-se o vento
Que dos olhos desfez a última chama
E da paixão fez-se o pressentimento
E do momento imóvel fez-se o drama.

De repente, não mais que de repente
Fez-se de triste o que se fez amante
E de sozinho o que se fez contente

Fez-se do amigo próximo o distante
Fez-se da vida uma aventura errante
De repente, não mais que de repente.
(Vinícius de Morais)

"De repente do riso fez-se o pranto".

À colocação do pronome "se" depois do verbo fazer (fez-se) dá-se o nome de:
a) próclise
b) ênclise
c) mesóclise
d) tmese
e) mesóclise imprópria

5) (Uece 1996) - Preenchem-se os espaços de

"________ meses que desejo tanto que elas ________, que, daqui ________ pouco, irão para ________ Argentina", com:
a) faz, viagem, há, à
b) faz, viajem, a, a
c) fazem, viagem, a, à
d) fazem, viajem, há, a
e) n.d.a.

Como usar o ONDE e o AONDE

imagem_gratis_dicas_BBB11_flagras (4)AONDE / ONDE / DE ONDE

- AONDE: com verbos que indicam movimento, um destino, como o verbo ir.
Exemplos:
Aonde você vai?
Aonde você quer chegar?

- ONDE: com verbos que indicam permanência, como o verbo estar.
Exemplos:
Onde você está?
A casa onde moro é muito antiga.

- DE ONDE ou DONDE: com verbos que indicam procedência.
Exemplos:
De onde você saiu?
Donde você surgiu?

Exercício sobre signo linguístico

O exercício abaixo baseia-se numa imagem veiculada num Suplemento do jornal Folha de SP. Veja com atenção a imagem e atente para o enunciado do exercício que vem após ela.

exercício_gratis_bbb11_flagraObserve a relação entre cada ícone e o respectivo signo lingüístico acima e comente a estratégia adotada pelo criador do texto publicitário para ressaltar a qualidade do produto (no caso, um banco) anunciado.

E aí? Dê sua resposta nos comentários!

Qual a diferença entre EXPLICAR e JUSTIFICAR?

Segundo o dicionário Caldas Aulete, "Explicar" significa: tornar inteligível ou claro; justificar... E "justificar", demonstrar a inocência de, dar ou reconhecer por inocente, desculpar...

No dicionário Michaelis temos: "Explicar", tornar claro ou inteligível; aclarar; explanar; fazer-se compreender; justificar... E "Justificar", declarar justo, demonstrar ou reconhecer a inocência de; absolver; desculpar; explicar com razões plausíveis...

imagem_gratis_dicas_BBB11_flagras (3)

Pelo visto, os dois verbos até poderiam ser considerados sinônimos. Na prática, entretanto, é preferível fazer a conhecida distinção: se você quer esclarecer, explica; se você quer ser inocentado, justifica. Só assim podemos entender a tal história do "explica, mas não justifica", ou seja, "dá para entender, mas não dá para desculpar".

Uso dos signos e competência textual

Falei num post anterior a este sobre as características do signo linguístico. Neste post, continuamos a tratar desse assunto, mas enfocaremos na organização do texto.

É sabido que ao empregar os signos que formam nossa língua, devemos obedecer a certas regras de organização que ela própria oferece. Assim, por exemplo, é perfeitamente possível antepor ao signo árvore o signo uma, formando a seqüência uma árvore. Já a seqüência um árvore contraria uma regra de organização da língua portuguesa, o que nos faz rejeitá-la. Perceba, pois, que os signos que constituem a língua seguem padrões determinados de organização. O conhecimento de uma língua abrange não apenas a identificação de seus signos, mas também o uso adequado de suas regras combinatórias. Esse conhecimento constitui o que se costuma denominar "competência gramatical" do usuário da língua.

30 anos de futebol_0397 Essa aí é a “Chó”. Ela achava que consegui conversar com a gente!

Socialmente, a língua é sempre usada na forma de textos. A história das sociedades humanas fez surgirem ao longo dos tempos diversos tipos de textos - e o conhecimento e reconhecimento desses tipos textuais, bem como a capacidade de utilizá-los adequadamente são fundamentais para a participação efetiva na constante interação comunicativa da vida social. Pense nos diferentes tipos de texto que surgem na imprensa escrita, por exemplo. Reconhecer esses textos nos parece algo muito natural; no entanto, são formas textuais que surgiram mais ou menos recentemente na história da humanidade - afinal, desde quando existem jornais impressos de grande circulação no mundo? Os diferentes tipos textuais existem em função das muitas necessidades sociais - e lidar com eles de forma eficiente, tanto na sua leitura como na sua produção, constitui a chamada "competência textual" do usuário da língua.

O que o Gianecchine faz no Análise de Textos?

Interessante este spam que chegou até minha caixa postal dia desses. Não tinha atentado para a propaganda do Novo Neve Supreme, pois dali nada me interessa. Mas foi interessante olhar para ela hoje, pois falei nos posts anteriores a respeito de significante e significado e há, nessa imagem, um exemplo claro disso que falei. Vejam a imagem , em seguida, como o verbete “rolo” aparece no Houaiss.

 mail_mordomo_pt_02_02

Este é o Gianecchine!

mail_mordomo_pt_02_03

Estes são os rolos"!

Veja agora as definições 15 e 16 do verbete:

15    Derivação: sentido figurado. Regionalismo: Brasil. Uso: informal. altercação, briga que envolve muitas pessoas; confusão, distúrbio, tumulto
16    Derivação: sentido figurado. Regionalismo: Brasil. Uso: informal. perturbação da ordem; confusão
Ex.: comerciantes que estão sempre a criar r. com os fiscais

mail_mordomo_pt_02_05

Pensando bem, essa propaganda me interessa sim.

Diferença entre Língua, Signo e Significado

Língua é um sistema de signos convencionais usado pelos membros de uma mesma comunidade. Em outras palavras: um grupo social convenciona e utiliza um conjunto organizado de elementos representativos.

amigos_imaginario_interna É importante falar a mesma língua!

Um signo lingüístico é um elemento representativo com dois aspectos: um significante e um significado, unidos num todo indissolúvel. Ao ouvir a palavra árvore, você reconhece os sons que a formam. Esses sons se identificam com a lembrança deles que está presente em sua memória. Tal lembrança constitui uma verdadeira imagem sonora armazenada em sua memória - é o significante do signo árvore. Ao ouvir essa palavra, você pensa num "vegetal lenhoso cujo caule, chamado tronco, só se ramifica bem acima do nível do solo, ao contrário do arbusto, que exibe ramos desde junto ao solo". Esse conceito, que não se refere a um vegetal particular, mas engloba uma ampla gama de vegetais, é o significado do signo árvore - e também se encontra armazenado em sua memória.

Sugar maple tree by a split-rail fence in rural Vermont, United States Ela, a árvore!

O signo árvore, portanto, relaciona-se com dois dados de sua memória: uma imagem acústica, correspondente à lembrança de uma seqüência de sons - o significante - e um conceito, um dado do conhecimento humano sobre o mundo - o significado. O significado dos signos lingüísticos é um conjunto complexo de informações acumuladas ao longo da história das comunidades humanas. Isso quer dizer que utilizar uma determinada palavra da nossa língua é, na verdade, fazer ecoar por meio dela todo um processo histórico de formação de conceitos sobre a vida e sobre o mundo. O significado do signo árvore, por exemplo, vai muito além do conceito de "vegetal lenhoso": há muitos valores simbólicos e ideológicos que se podem associar a esse signo (em várias mitologias, a árvore é símbolo da vida; em tempos de movimentos ambientalistas ativos como os nossos, a árvore é um símbolo da preservação das matas); há também valores que só se conseguem definir na efetiva interlocução (imagine todo o conjunto de sentidos que a palavra árvore assume numa conversa entre donos de madeireiras sobre a extração de mogno).

Conceitos básicos sobre Linguagem e Interação

A vida social do ser humano se constitui a partir da sua capacidade de interagir com seus semelhantes por meio da linguagem. Assim, cada indivíduo, ao utilizar a língua, não apenas expressa aquilo que pensa e sente, mas também age sobre seu interlocutor, procurando fazê-lo assumir determinadas atitudes ou comportamentos. Em cada situação de interação que se estabelece, há um jogo constante de efeitos de sentido entre os participantes envolvidos: quem toma a palavra num determinado instante procura criar efeitos de sentido para atuar sobre quem o está ouvindo; ao mesmo tempo, quem está ouvindo se posiciona em relação aos efeitos de sentido que capta e reage a eles da maneira que puder ou souber, respondendo da forma que achar mais conveniente.

relacao_virtual

A linguagem se manifesta, pois, como um diálogo contínuo e abrangente: toda uma situação de interlocução se constrói e nela cada elemento tem importância na determinação dos sentidos que se desenvolvem. Os interlocutores envolvidos não apenas comunicam informações uns aos outros, mas assumem papéis sociais um diante do outro e procuram elaborar seus textos de acordo com esses papéis. Há na interlocução uma efetiva ação por meio da linguagem: alguém utiliza estrategicamente palavras para alcançar determinados fins - para persuadir, informar, desabafar, expor, fazer agir, fazer comprar e muitas outras coisas.

Por fim, fiquemos com o significado da palavra “interação” trazido pelo dicionário Houaiss:

substantivo feminino
  influência mútua de órgãos ou organismos inter-relacionados; ação mútua ou compartilhada entre dois ou mais corpos ou indivíduos
Exs.: i. do coração e dos pulmões
i. do indivíduo com a sociedade
2    comunicação entre pessoas que convivem; diálogo, trato, contato
3    Rubrica: estatística.
medida de quanto o efeito de uma certa variável sobre outra é determinado pelos valores de uma ou mais variáveis diferentes
4    Rubrica: física.
qualquer processo em que o estado de uma partícula sofre alteração por efeito da ação de outra partícula ou de um campo
5    Rubrica: sociologia.
conjunto das ações e relações entre os membros de um grupo ou entre grupos de uma comunidade

Como fazer resumos de textos

RESUMO DO TEXTO DISSERTATIVO

Resumir um texto é reproduzir, em poucas palavras, o que o autor expressou amplamente. É a síntese das idéias do texto e não das palavras ou frases. Fazer resumos é útil para se aprender a relacionar as idéias principais do texto e entender com clareza o assunto.

imagem_gratis_dicas_BBB11_flagras (86) CUIDADOS NA ELABORAÇÃO DO RESUMO

a- Não iniciar com expressões do tipo "O autor diz...", "O texto mostra...".
b- Não apresentar juízos críticos, opiniões próprias,
c- Não colocar exemplos nem explicações desnecessárias,
d- Manter a progressão em que as idéias aparecem, observando os elementos conectores,
e- Utilizar linguagem clara e objetiva,
f- Evitar transcrição de frases do texto.
g- A extensão do resumo deve ter de 10 a 15 por cento da extensão do texto original.

ETAPAS NO PROCESSO DO RESUMO

a- Leitura integral para tomar contato com o texto,
b- Esclarecimento de eventuais dúvidas de vocabulário,
c- Releitura para identificação do tema e sua delimitação,
d- Destaque das palavras-chave das idéias de cada parágrafo,
e- Elaboração do esquema das idéias do texto, atentando-se para o relacionamento entre elas.
f- Montagem do texto, seguindo a progressão das idéias.

OBSERVAÇÃO:
-    Se o texto a ser resumido for de pequena extensão, basta fazer o esquema das idéias principais de cada parágrafo.
-    Se o texto for de grande extensão, um livro, por exemplo, será necessário apreender seu conteúdo através das partes ou capítulos.

Qual a forma certa? Experimente ou experimenta?

imagem_gratis_dicas_BBB11_flagras (2) EXPERIMENTA OU EXPERIMENTE?

Em termos de língua padrão, "experimenta" e "experimente" são flexões corretas do modo imperativo (afirmativo). A diferença fica por conta da pessoa gramatical, que, no caso de "experimenta", é a segunda do singular ("tu") e, no caso de "experimente", é a terceira do singular ("você", "senhor/a" etc.).

Parece conveniente lembrar o sistema de conjugação do imperativo afirmativo padrão. As duas segundas pessoas ("tu" e "vós") vêm do presente do indicativo, sem o "s" final. Como a segunda pessoa do singular do presente do indicativo do verbo "experimentar" é "(tu) experimentas", a segunda do singular do imperativo afirmativo é "experimenta (tu)". As demais pessoas do imperativo afirmativo vêm do presente do subjuntivo, sem alteração. De "que você experimente" (presente do subjuntivo) se faz "experimente (você)".

Sabendo disso, é fundamental levar em conta a região do país. No dialeto paulista, por exemplo, o pronome de tratamento usado entre pessoas íntimas é "você"; no imperativo, a flexão adotada é justamente a que a gramática normativa dá como pertencente à segunda pessoa ("tu"). Em outras palavras, os paulistas dizem "Anda logo, senão você vai chegar atrasado" ou "Mostra logo o que você comprou", por exemplo.

Em outros dialetos (o baiano, por exemplo), o pronome "você" costuma ser associado à flexão de imperativo afirmativo que a gramática padrão dá como pertencente à terceira do singular. Em outras palavras, os baianos dizem "Ande logo, senão você vai chegar atrasado" ou "Mostre logo o que você comprou", por exemplo.

É bom que se diga que, em termos de língua padrão, a flexão "experimenta" seria associada, por exemplo, a formas como "Tu vais gostar" ou "Tu não te arrependerás", enquanto a flexão "experimente" seria associada a formas como "Você vai gostar" ou "Você não se arrependerá".

Este tema foi assunto desta questão da Fuvest (de 2003):

"Entre as mensagens abaixo, a única que está de acordo com a norma escrita culta é:

a) Confira as receitas incríveis preparadas para você. Clica aqui.
b) Mostra que você tem bom coração. Contribua para a campanha do agasalho.
c) Cura-te a ti mesmo e seja feliz.
d) Não subestime o consumidor. Venda produtos de boa qualidade.
e) Em caso de acidente, não siga viagem. Pede o apoio de um policial".

A resposta é "d". Nessa frase, as formas "não subestime" (do imperativo negativo, conjugado integralmente a partir do presente do subjuntivo) e "venda" (do imperativo afirmativo) estão na terceira do singular ("você", "senhor/a"). (P.C.N.)


Qual a forma certa? A fim ou afim?

imagem_gratis_dicas_BBB11_flagras (1)A FIM / AFIM

- A FIM: igual a "finalidade".
Exemplo: aquele @ estava a fim daquela @.

- AFIM: equivalente a "semelhante".
Exemplo: Meu gosto não é afim ao seu em matéria de follower.

Qual o certo? AO encontro DE / DE encontro A

Desert

- AO ENCONTRO DE: significa "a favor de, para junto de".
Exemplos:
Esta sua decisão veio ao encontro das minhas pretensões.
Ana foi toda feliz ao encontro do namorado.

- DE ENCONTRO A: equivalente a "contra, ideia de choque, de oposição".
Exemplos:
Naquela questão, as ideias do PT vieram de encontro às do PSDB.
O carro foi de encontro ao poste.

Como vi num comentário num outro blog de Língua Portuguesa de cujo nome não me lembro, no antológico "Samba da bênção", Vinícius dizia: "A vida é a arte do encontro, embora haja muito desencontro pela vida." Tinha razão o poeta. Quando você quer uma coisa e ela acontece, ela vem ao encontro dos seus interesses, e não de encontro.

Quem quer ser professor?

As universidades surpreendem cada vez mais quando se trata de tema de redação. Ninguém mais espera que sejam pedidos temas como “aborto”, “pena de morte” e nesse aspecto, acho cada vez mais válido que o estudante abra o leque de possibilidades temáticas. Veja o exemplo do tema da redação do vestibular da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS): a diminuição da procura dos jovens pela profissão de professor.

imagem_gratis_dicas_BBB11_flagras (53)

Imagem meramente ilustrativa

Os candidatos tinham como texto-base o trecho abaixo:

“É indiscutível que o professor é fundamental para o progresso de qualquer sociedade. Sob sua responsabilidade, formam-se vários profissionais, e, por este fato, a profissão de professor é muitas vezes apelidada de ‘profissão das profissões’. Entretanto, só isto não basta para caracterizar sua dimensão. É preciso olhar para o professor com olhos de quem quer ver um país melhor”.

Uma dissertação em que se avaliasse por que a profissão de professor se encontra desvalorizada entre jovens. Isso é o que a banca esperava. O estudante deveria ainda fazer uso de dados de uma pesquisa da Fundação Carlos Chagas e da relação candidato-vaga para os cursos de Licenciatura nos últimos vestibulares da UFRGS.

Fica provado que, assim como a Fuvest, outros vestibulares estão fugindo do senso comum quando se trata de temas de redação no vestibular.

Um agravante ou uma agravante?

UM AGRAVANTE ou UMA AGRAVANTE?

imagem_gratis_exercício_português

A palavra "agravante", como substantivo, é do gênero feminino.

Exemplo: O fato de João dirigir alcoolizado é uma agravante no caso de um acidente.

O mesmo acontece com a palavra "atenuante".

Exemplo: O advogado alegou a existência de algumas atenuantes, para justificar o pedido de redução de pena de seu cliente.

Proposta de redação sobre a imprensa

Diante de notícias falsas e reportagens sem embasamento nenhum, fica a pergunta: dá pra confiar na imprensa? Pensando nisso, propus a meus alunos no final do ano passado esta proposta de redação dissertativa.

Liberdade de expressão x Liberdade de imprensa

A mídia deve ser controlada? Tal controle afrontaria a liberdade de expressão? A liberdade de expressão se refere à liberdade individual e ao direito humano fundamental da palavra, enquanto a liberdade de imprensa se refere à liberdade da imprensa ou da mídia de tornar público o conteúdo que consideram informação jornalística e entretenimento. Qual é a sua opinião sobre tal controle?

liberdade_de_imprensa

Baseado na leitura dos textos, redija um texto dissertativo em prosa sobre o seguinte tema:

O controle da mídia, liberdade de expressão e liberdade de imprensa

Instruções:

- Faça seu texto à caneta;

- Escreva entre 20 e 25 linhas;

- Use o padrão culto da linguagem;

- Procure dar exemplos concretos para fundamentar sua argumentação.

Lista de exercícios com gabarito

Teacher at Desk01Publiquei hoje uma série de exercícios de Língua Portuguesa. Entre eles havia exercícios de formação de palavras, exercícios de análise sintática e exercícios de classificação de palavras. Todos eles têm gabarito e podem ser conferidos se vocês clicarem na lista na sidebar nos marcadores “Exercícios de Gramática” e “Exercícios com gabarito”. Porém, para facilitar o trabalho dos meus amigos professores e de estudantes que vêm aqui atrás de atividades de reforço para vestibular, publico aqui um arquivo hospedado gratuitamente no 4shared. É uma arquivo levinho com todos os últimos posts. Publiquei esta mesma lista no blog de downloads gratuitos que mantenho paralelamente a este blogs de exercícios de Língua Portuguesa. Bons estudos,colegas leitores.

Baixe a lista de exercícios de Língua Portuguesa

Visite o blog de downloads de exercícios

Exercício sobre agente da passiva

exercicio_gramatica__redacao (51)Classifique o termo em destaque no trecho abaixo:

A rainha era aclamada pela multidão.
a) objeto direto
b) objeto indireto
c) complemento nominal
d) sujeito
e) agente da passiva
 
Resposta: E
Agente da passiva é o complemento de um verbo na voz passiva
. Corresponde ao sujeito da oração na voz ativa.

Exercício sobre termo integrante da oração

exercicio_gramatica__redacao (77)É chamado termo integrante da oração:
a) sujeito
b) predicado
c) objeto indireto
d) adjunto adnominal
e) aposto

Resposta: C
Os termos integrantes da oração completam o significado dos verbos e dos nomes. São termos integrantes da oração: complementos verbais (objeto direto e objeto indireto), complemento nominal e agente da passiva.

Exercício de classificação sintática

exercicio_gramatica__redacao (73)Na frase: A fábrica contaminou o ar. O elemento destacado é:
a) complemento nominal
b) objeto direto
c) objeto direto preposicionado
d) objeto indireto
e) sujeito

Resposta: B
O elemento em destaque – o ar – é objeto direto e está completando o sentido do verbo transitivo direto contaminou.